6 dicas para conferir antes de comprar um imóvel

Se você pretende comprar um imóvel, precisa ficar por dentro de todas as oportunidades que o mercado oferece. Por exemplo, você sabia que, durante 2018, a Caixa Econômica Federal anunciou, duas vezes, ajustes no crédito imobiliário e no financiamento de imóveis usados?

1. Pesquisa e informação
O último ajuste anunciado pelo banco popular foi sobre a redução de juros no crédito imobiliário. Para imóveis residenciais no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), a taxa mínima passou de 9% para 8,75% ao ano. Para o Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), passou de 10% para 9,5% ao ano.

No caso de financiamento de imóveis usados, a Caixa elevou para 80% a cota. Isso permite que você dê um valor menor de entrada para adquirir o imóvel desejado. Informações como estas são super úteis para quem está de olho em imóvel para comprar com a pretensão de financiar.

2. Oportunidades de compra
Elas surgem, por exemplo, em casos como os mencionados acima. Com os ajustes feitos pela Caixa Econômica, outros bancos, como Itaú e Santander, anunciaram ajustes em suas linhas de crédito. Ou seja, mais oportunidades para você avaliar na hora de comprar um imóvel.

O atual cenário no mercado imobiliário está a favor de quem quer sair do aluguel. Segundo uma pesquisa realizada em outubro de 2018 pelo Portal Imovelk, 73% dos clientes pretendem comprar um imóvel nos próximos 6 meses. As mudanças feitas pelos bancos foram um dos fatores que contribuíram para essa decisão!

3. Planejamento
Se a sua intenção é financiar um imóvel, é muito importante poupar parte da sua renda antes de contratar um financiamento e depois também. Afinal, você terá parcelas para pagar posteriormente, além das contas básicas da casa e as suas pessoais.

A solução, porém, não é deixar o dinheiro parado, mas sim aplicar em algo que irá lhe render mais. Ao invés de considerar apenas a poupança, veja mais opções, como por exemplo, o Tesouro Direto. Consulte especialistas e guarde o seu dinheiro em algo que realmente lhe abrirá portas para mais oportunidades de mudança de vida.

4. FGTS e décimo terceiro salário
São duas opções que você possui para utilizar na compra de imóvel. Existem formas para utilizar o FGTS em financiamento imobiliário e, poupando o décimo terceiro salário, você garante uma reserva extra significativa para dar entrada no pagamento do imóvel ou se planejar para despesas inesperadas.

Que tal conhecer as principais categorias de financiamento imobiliários e como funcionam? Dessa forma, você estará mais preparado para negociar e fechar o melhor negócio.

5. Valorização do imóvel
Regiões com comércio diversificado, áreas que oferecem fácil mobilidade e a conservação do imóvel influenciam no valor do imóvel. Consequentemente, quanto mais benefícios a localização e a estrutura da casa ou do apartamento proporcionam, maior será o preço.

Posteriormente, caso você queira se mudar de novo um dia, há a possibilidade de disponibilizar o imóvel para locação. Nesse caso, imóveis bem valorizados tendem a ser alugados mais rapidamente por conta dos benefícios que oferecem.

6. Contar com uma imobiliária de confiança
Existem casos de pessoas que compraram imóveis com empresas que não honraram o contrato e não entregaram a casa ou o apartamento quitado aos compradores. Por isso, é muito importante pesquisar sobre a empresa antes de efetuar a compra.

Nós, da Kondor Imóveis, atuamos no mercado imobiliário de Curitiba desde 1986. Experiência, conhecimento e comprometimento são requisitos que não nos faltam para encontrar e entregar o imóvel ideal para você. Conte conosco!

Publicado em Mercado Imobiliário | Deixar um comentário

4 bairros com casas de alto padrão em Curitiba

Engana-se quem acredita que as casas de alto padrão em Curitiba se concentram no centro da capital paranaense ou nos bairros vizinhos mais próximos. Geralmente, os imóveis de luxo se encontram em bairros mais afastados, onde há maior privacidade e tranquilidade.

Santa Felicidade
Bairro conhecido por ser o reduto da gastronomia italiana em Curitiba, onde se concentram diversos restaurantes renomados, como por exemplo, o Madalosso, o maior da América Latina. Além disso, conta com muitas vinícolas e lojas de artesanatos.

Se, para você, tranquilidade e lazer são requisitos que não podem faltam em um bairro, em Santa Felicidade você vai encontrar a sua casa de alto padrão ideal.

Jardim Social
Possui um planejamento urbano definido e padrão construtivo refinado. A principal característica deste bairro é ser residencial, ou seja, não há muitas opções de comércio ao redor. Mas, para quem não abre mão de luxo e privacidade, esta é a região certa para encontrar a sua casa de alto padrão.

Campina do Siqueira
Em uma determinada parte deste bairro se concentram mansões de luxo. A diversidade no comércio é maior, portanto é uma região boa para quem gosta de tranquilidade, mas não abre mão da praticidade de morar perto do centro.

O Campina do Siqueira fica entre os bairros Batel, Bigorrilho e Mossunguê e Seminário, outras regiões onde você pode encontrar casas de alto padrão, mas com menos densidade, pois possuem mais apartamentos.

Vista Alegre
Bairro vizinho ao Mercês e Bom Retiro, o Vista Alegre conta com residências de alto padrão no estilo europeu, que testemunham a colonização italiana, alemã e polonesa.

Por estar mais próximo ao Centro da capital, também conta com opções de comércio mais diversificadas. É uma ótima região para quem prefere morar perto do trabalho.

Imóveis de alto padrão: tem na Kondor!
Nós somos uma imobiliária atuante no mercado imobiliário de Curitiba desde 1986, localizada no bairro de Santa Felicidade. Ou seja, tradição no quesito morar bem e com muito conforto é uma de nossas principais características. Conte conosco para encontrar a sua casa de alto padrão em Curitiba!

Publicado em Mercado Imobiliário | Deixar um comentário

Principais categorias de financiamento imobiliário e como funcionam

financiamento imobiliário

Você já se perguntou como funciona cada categoria de financiamento imobiliário? Foi pensando exatamente em listar as principais e explicar cada uma delas para esclarecer as dúvidas mais comuns que preparamos este conteúdo. Vamos começar?

Os sistemas de financiamento imobiliário
Há três tipos de sistemas:

  • Tabela Price: as prestações não são fixas e variam com a inflação do país, os juros são decrescentes e as amortizações crescentes.
  • Sistema de Amortização Constante (SAC): o valor da amortização é constante, os juros variam e o valor das parcelas diminui com o passar do tempo.
  • Sistema de Amortização Crescente (SACRE): o valor da amortização cresce ao longo do tempo e os juros diminuem. Num determinado momento, o valor da amortização para de crescer e começa a diminuir.

O programa Minha Casa Minha Vida
Oferece melhores condições para financiamento de moradias para famílias de baixa renda. As taxas de juros são consideradas as menores do mercado, o atendimento é especializado e a compra do imóvel pode ser em área urbana ou rural.

Composição de Renda
É uma opção viável para pessoas que desejam dividir o valor do financiamento imobiliário com outras. Nesse caso, se você quer comprar um imóvel e dividir o financiamento com alguém, é possível financiar um valor maior.

FGTS ou SBPE em financiamento imobiliário
Na hora de escolher recursos para financiar um imóvel, você pode optar pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ou pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

  • FGTS: a família precisa ter uma determinada renda bruta mensal e o valor máximo depende da região do país. Somente imóveis residenciais podem ser financiados, em área urbana ou rural. Nesse caso, a taxa de juros é menor.
  • SBPE: você não tem um limite de renda. O imóvel pode ser financiado em um valor enquadrado nos limites do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), com taxas de juros de até 12%; ou pelo SBPE, no qual as taxas de juros podem ser superiores a 12%.

Quer ver algumas opções de imóveis à venda?
Aqui no site da Kondor você vai encontrar diversas casas e apartamentos em regiões muito bacanas! Qualquer dúvida, estamos à disposição. ;)

Publicado em Financiamento Imobiliário, Mercado Imobiliário | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Formas para utilizar o FGTS em Financiamento Imobiliário

FGTS em financiamento imobiliário

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é arrecadado todos os meses pelo trabalhador formal. Caso ele tenha interesse em comprar um imóvel, pode utilizar o FGTS em financiamento imobiliário para amortizar parte do valor, completar a oferta de compra ou construção de um imóvel.

Nesses casos, o FGTS pode ser útil das seguintes formas:

1. Compra e Construção
Nos imóveis residenciais, o saldo do FGTS pode ser utilizado em parte do pagamento ou no pagamento do valor total.

2. Amortização ou liquidação do saldo devedor
Você pode utilizar o FGTS para quitar totalmente sua dívida ou pagar uma parte do saldo devedor, desde que o contrato de financiamento tenha sido assinado por meio do Sistema Financeiro Habitação (SFH).

Você pode solicitar a amortização a cada 24 meses, com a redução do número de parcelas, e também é possível reduzir o total de juros pagos.

3. Pagamento de parte do valor das prestações
Use seu FGTS para diminuir o valor de até 80% de 12 prestações consecutivas, se houver saldo suficiente e desde que o contrato de financiamento seja assinado no âmbito do SFH. Esse pedido pode ser renovado a cada 12 meses.

Vantagens do FGTS na compra de um imóvel
De acordo com o advogado especialista no setor imobiliário Lucas Madalosso, “o FGTS é um dinheiro que fica lá parado e praticamente não valoriza nada. Então, recomenda-se usar esse valor para evitar custos com os juros do financiamento, que geralmente são altos”, afirma.

O que você precisa parar utilizar o valor do FGTS:

  • Ter no mínimo três anos consecutivos de trabalho sob o regime do FGTS, mesmo que em períodos ou empresas diferentes.
  • Não possuir financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH).
  • Não ser proprietário de imóveis residenciais, concluídos ou em construção, no município onde mora ou trabalha.

Além disso, o imóvel deve:

  • Ser apenas residencial, nunca comercial.
  • Estar localizado no mesmo município em que o comprador trabalha ou reside.
  • Se o imóvel estiver localizado em outro município, o comprador deve comprovar que vive na região há pelo menos um ano.
  • Na data de avaliação final, deve possuir plenas condições para habitação e não conter problemas na construção.

O advogado Lucas ainda dá uma dica: “se você já possui um pouco de dinheiro guardado e pode utilizar o FGTS, opte por usar o Fundo de Garantia na compra da sua casa nova e reinvista o que você já salvou”.

Não é permitido usar o FGTS nos seguintes casos:

  • Imóveis comerciais.
  • Terrenos sem nenhuma construção sendo feita no momento.
  • Reforma ou ampliação de imóvel.
  • Compra de material para construção.
  • Aquisição de imóveis residenciais para outras pessoas, como dependentes e familiares.
Publicado em Financiamento Imobiliário, Mercado Imobiliário | Com a tag , , | Deixar um comentário

Caixa Econômica eleva para 80% a cota de financiamento de imóveis usados

financiamento de imóveis usados

No dia 24 de agosto deste ano, a Caixa Econômica Federal reduziu os juros para o crédito imobiliário e elevou para 80% a cota de financiamento de imóveis usados. Veja abaixo os valores atuais e em quais categorias são válidas!

Crédito Imobiliário
Para imóveis no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), a taxa mínima passou de 9% para 8,75% ao ano. No Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, a nova taxa é válida para unidades residenciais de até R$ 950 mil. No restante do país, a regra vigora para unidades residenciais de até R$ 800 mil.

Para os imóveis residenciais no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), a taxa mínima passou de 10% para 9,5% ao ano.

Esta foi a segunda redução de juros de crédito imobiliário neste ano
Em abril, a Caixa havia anunciado a primeira redução de juros para o crédito imobiliário. Após mais de um ano e meio com as taxas congeladas, os juros para o Sistema Financeiro de Habitação (SFH) diminuíram de 10,25% para 9% ao ano, e para o Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), de 11,25% para 10% ao ano.

Financiamento de imóveis usados
Na onda de redução de juros, a Caixa elevou para 80% a cota para financiamento de imóveis usados. Com isso, é possível dar um valor menor de entrada para adquirir o imóvel desejado.

Neste ano, esta também foi a segunda vez que o banco modificou a cota para financiamento de imóveis usados. Na mesma ocasião em abril, além de reduzir os juros para o crédito imobiliário, elevou o limite da cota do financiamento de 50% para 70%.

O que influenciou essas mudanças?
Basicamente, a necessidade de movimentar o mercado de construção civil. A expectativa perante esse cenário é que a redução dos juros e o aumento do teto da cota para financiamento facilitem a compra de imóveis.

O momento é de oportunidade e otimismo para o mercado imobiliário, de construção civil e as pessoas interessadas em adquirir a casa própria.

Benefícios perceptíveis no atual cenário
Mudanças como estas já abrem novos horizontes para quem sonha em sair do aluguel. Nesse caso, além de contar com juros menores, a facilidade de negociação é uma grande aliada para quem está aguardando o momento certo para fazer uma proposta em imóveis à venda.

A compra de imóveis é um investimento sólido. Você está adquirindo um bem que será seu e, caso seus planos mudem, há a possibilidade de disponibilizar o imóvel para locação e ganhar uma renda fixa por mês.

Quer aproveitar esse momento e ver opções de imóveis?
Aqui na Kondor você vai encontrar uma variedade de imóveis à venda e em ótimos bairros de Curitiba. Se precisar de algo, estamos à disposição para atendê-lo!

Publicado em Mercado Imobiliário, Notícias | Com a tag , , , , , , | Deixar um comentário

Lei do Inquilinato: responsabilidades do locador e do locatário

A Lei do Inquilinato determina os deveres do locador e do locatário. Você já ouviu falar na Lei do Inquilinato? Ela estabelece regras para o mercado de locação de imóveis, equilibrando os direitos e deveres do locador e locatário. Dessa forma, ambos ficam cientes de suas responsabilidades e se relacionam melhor durante a vigência do contrato de locação.

Se você já locou ou vai locar um imóvel, conheça abaixo os seus direitos e deveres perante a Lei do Inquilinato!

Responsabilidades do locador
Artigo 22 da Seção IV da Lei do Inquilinato prevê:

  • Entregar ao locatário o imóvel alugado em estado de servir ao uso a que se destina;
  • Garantir, durante o tempo da locação, o uso pacífico do imóvel locado;
  • Manter, durante a locação, a forma e o destino do imóvel;
  • Responder pelos vícios ou defeitos anteriores à locação;
  • Fornecer ao locatário, caso este solicite, descrição minuciosa do estado do imóvel, quando de sua entrega, com expressa referência aos eventuais defeitos existentes;
  • Fornecer ao locatário recibo discriminado das importâncias por este pagas, vedada a quitação genérica;
  • Pagar as taxas de administração imobiliária, se houver, e de intermediações, nestas compreendidas as despesas necessárias à aferição da idoneidade do pretendente ou de seu fiador;
  • Pagar os impostos e taxas, e ainda o prêmio de seguro complementar contra fogo, que incidam ou venham a incidir sobre o imóvel, salvo disposição expressa em contrário no contrato;
  • Exibir ao locatário, quando solicitado, os comprovantes relativos às parcelas que estejam sendo exigidas;
  • Pagar as despesas extraordinárias de condomínio.

Responsabilidades do locatário
Estão previstas no Artigo 23 da Seção IV:

  • Pagar pontualmente o aluguel e os encargos da locação, legal ou contratualmente exigíveis, no prazo estipulado ou, em sua falta, até o sexto dia útil do mês seguinte ao vencido, no imóvel locado, quando outro local não tiver sido indicado no contrato;
  • Servir-se do imóvel para o uso convencionado ou presumido, compatível com a natureza deste e com o fim a que se destina, devendo tratá-lo com o mesmo cuidado como se fosse seu;
  • Restituir o imóvel, finda a locação, no estado em que o recebeu, salvo as deteriorações decorrentes do seu uso normal;
  • Levar imediatamente ao conhecimento do locador o surgimento de qualquer dano ou defeito cuja reparação a este incumba, bem como as eventuais turbações de terceiros;
  • Realizar a imediata reparação dos danos verificados no imóvel, ou nas suas instalações, provocadas por si, seus dependentes, familiares, visitantes ou prepostos;
  • Não modificar a forma interna ou externa do imóvel sem o consentimento prévio e por escrito do locador;
  • Entregar imediatamente ao locador os documentos de cobrança de tributos e encargos condominiais, bem como qualquer intimação, multa ou exigência de autoridade pública, ainda que dirigida a ele, locatário;
  • Pagar as despesas de telefone e de consumo de força, luz e gás, água e esgoto;
  • Permitir a vistoria do imóvel pelo locador ou por seu mandatário, mediante combinação prévia de dia e hora;
  • Cumprir integralmente a convenção de condomínio e os regulamentos internos;
  • Pagar o prêmio do seguro de fiança;
  • Pagar as despesas ordinárias de condomínio.

Alugue com segurança! Conte com uma imobiliária
A locação direta com o proprietário é considerada informal e, por isso, arriscada. Uma imobiliária garante que a documentação seja elaborada de forma justa para ambas as partes e que, principalmente, as exigências previstas por lei sejam cumpridas.

Vai locar um imóvel?
Aqui na Kondor você encontrar diversos imóveis à venda ou para locação. Se precisar de algo, entre em contato conosco. Estamos à disposição para ajudá-lo a encontrar o imóvel ideal. ;)

Publicado em Cuidados com o imóvel, Mercado Imobiliário | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Financiamento imobiliário residencial ganha força no Brasil

BLOG4_MERCADO_IMOBILIARIO

Em julho deste ano, a agência de classificação de risco Moody’s lançou uma pesquisa que aponta que o financiamento imobiliário residencial começa a ganhar força no Brasil nos próximos 12 a 18 meses. Isso se deve a queda de juros, que abre aos bancos a possibilidade de negociar mais.

O que colabora para uma melhora desse cenário é o retorno de uma condição financeira melhor após o impacto causado pela crise no Brasil. As pessoas estão se atentando aos gastos e conquistando uma base financeira mais sólida.

Com isso, a movimentação no mercado imobiliário tende a sumir e a busca por imóveis à venda a ficar na mira daqueles que querem realizar o sonho da casa própria.

Quais são os tipos de imóveis mais procurados?
Segundo Aderbal Silveira, corretor de imóveis, a busca do imóvel depende, principalmente, dos tipos de famílias.

“Jovens e casais sem filhos procuram apartamentos e, de preferência, próximos ao local de trabalho. Gostam de imóveis mais novos e com boa infraestrutura no condomínio”, afirma.

Além disso, Silveira conta que, por outro lado, as famílias com filhos preferem sobrados e casas com boa incidência de sol. Nesse caso, a atenção da família também se prende nas casas em condomínios fechados por oferecerem mais segurança, conforto e liberdade.

Modelos de financiamento: quais são e como funcionam?
No mercado atual, de acordo com Silveira, o mais utilizado é o Sistema de Amortização Constante (SAC), no qual as prestações vão reduzindo de mês a mês. Nele, o cliente pode comprometer até 30% da renda e a entrada é na ordem de 20% do valor do imóvel.

E o pró-cotista: quando o cliente possui mais de três anos de registro em carteira e consequentemente conta com FGTS. A vantagem desta modalidade é a taxa de juros, que é a menor no mercado”, conta Silveira.

Além disso, é importante ressaltar que, em caso de atrasos de parcelas, o agente financeiro pode reaver o imóvel.

Quer dar uma olhada em imóveis à venda?
Acesse o nosso site, procure pela região na qual você deseja morar e veja as nossas opções de apartamentos e casas à venda. Estamos à disposição para tirar suas dúvidas: 41 3273-1212.

Publicado em Financiamento Imobiliário, Mercado Imobiliário | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Imóveis para idosos: como escolher o ideal?

BLOG3_IMOVEIS_PARA_iDOSOS

A população brasileira está envelhecendo com mais qualidade de vida, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). De acordo com a pesquisa realizada em 2013, o Brasil registrou, aproximadamente, 202 milhões de habitantes, sendo 7% idosos de 65 anos ou mais.

Estima-se que, em 2060, 27% da população brasileira será composta por idosos. Delimitando ao Paraná, a pesquisa supõe que, em 2028, a expectativa de vida será de 80 anos, saltando de 7,92% para 15,13%.

Pensando nisso, qual é o tipo de imóvel ideal para idosos?
A gerontóloga Suyen Miranda ajuda a gente a entender melhor esse cenário. “Embora a preferência por apartamentos seja maciça, há pessoas que viveram por quase toda (ou toda) a vida em casas e não se habituam a apartamentos sobretudo por conta de elevador”, explica Miranda.

O custo do condomínio em edifícios também tende a não ajudar nesses casos. “Casas térreas tem grande procura por idosos; unem privacidade e segurança, tendo ainda mais espaço e a sensação de liberdade”, afirma.

Comprar ou alugar?
Segundo a especialista, é forte a cultura da compra do imóvel para adquirir a casa própria.

E não só idosos preferem comprar por se sentirem menos inseguros quanto ao rumo da economia e sobretudo da aposentadoria. Há pessoas que têm menor preocupação quanto a isso, que têm imóveis em sua carteira de investimentos ou como fonte de renda e gostam da liberdade e flexibilidade do imóvel alugado”, conta Miranda.

Exigências que o imóvel precisa atender
Além das considerações acima, Miranda explica que todo imóvel novo precisa atender aos requisitos das Normas Brasileiras (NBR) relativas à Construção Civil não só para idosos como para qualquer pessoas com deficiência temporária ou duradoura, gestantes e crianças.

“Ao procurar um imóvel para residir, não só idosos como todas as pessoas devem verificar detalhadamente as condições de segurança e acessibilidade – uma escada em caracol não é acessível nem segura, bem como pisos escorregadios, entre diversos outros exemplos”, afirma a especialista.

Há exigências diferentes na compra ou locação do imóvel dependendo da faixa etária?
Miranda certifica que, pela nossa Constituição Federal e pelo Estatuto do Idoso, não há diferenças enquanto exigências para faixas etárias. Dessa forma, não se fere o sentido de igualdade.

Para compra de imóveis financiados há uma barreira de faixa etária nos programas governamentais, algo que deverá ser discutido futuramente com o advento da maior longevidade de idosos. Esta barreira também se verifica nos concursos públicos e nas aposentadorias compulsórias do funcionalismo nas três esferas de poder (75 anos)”, alega Miranda.

Diferenciais importantes para escolher o imóvel ideal para idosos
Partindo dessas informações, precisamos pensar cada vez mais na adaptação das moradias para essa faixa etária. Na hora de escolher um imóvel ideal para idosos, veja algumas dicas importantes do que levar em consideração!

  • portas largas para a passagem de cadeiras de rodas, andadores, etc;
  • banheiros com barras de apoio;
  • ambientes com espaço, sem obstáculos, para facilitar a locomoção;
  • calçadas com rampas para garantir acessibilidade a cadeirantes;
  • sinalizadores de campainhas para pessoas com deficiência auditiva;
  • sinalizadores no chão para pessoas com deficiência visual;

Como encontrar o imóvel ideal?
Entre no nosso site e envie as suas especificações pra gente! Nós ajudaremos você a encontrar o melhor imóvel.

Publicado em Cuidados com o imóvel, Mercado Imobiliário | Com a tag , | Deixar um comentário

Praças de Curitiba para você aproveitar nos finais de semana

BLOG2_PRACAS

A gente sabe que os dias de sol são raros na capital paranaense, mas, quando aparecem, pedem pra gente sair de casa para aproveitar. Por isso, nós reunimos as praças de Curitiba mais famosas e em quais bairros se encontram para você conhecer e ir aproveitar um bom final de semana. Veja abaixo!

Praça do Japão
Localizada no Água Verde, foi inaugurada em 1962. Esse pequeno pedaço do Oriente é um lugar calmo e aconchegante, com uma vasta área verde e um belo lago para você admirar.

Praça Tiradentes
Considerada a mais antiga de Curitiba, está localizada no Centro da cidade. Nela, estão guardados, sob um piso de vidro, calçamentos arqueológicos do século XIX que foram descobertos em 2008. Vale a pena fazer uma visita!

Praça da Espanha
Homenageando os colonizadores espanhóis, a Praça da Espanha se encontra no Batel, em uma área rodeada por comércio, bares, restaurantes, baladas e avenidas movimentadas da capital.

Praça 19 de Dezembro
Também conhecida como a “Praça do Homem Nu” devido uma grande escultura de um homem nu ser destaque no local ao lado de uma mulher nua. Está localizada no Centro da cidade, ao lado do Shopping Mueller.

Praça 29 de Março
É o cantinho verde do bairro Mercês, sendo uma das praças mais amplas, com playground e obras de artistas renomados, além de ser palco da Feira Gastronômica do Batel.

Praça Brigadeiro Mário Eppinghauss
Com campo de futebol e quadra de basquete, a praça está localizada no Juvevê e é bem movimentada nos finais de semana, com familiares que aproveitam um bom passeio ao ar livre junto com amigos e animais de estimação. Sem contar no módulo policial presente na praça, garantindo ainda mais segurança.

Que tal morar perto de uma destas praças?
Entre no nosso site e veja os imóveis disponíveis em cada região!

Publicado em Curitiba | Com a tag , , , , , , | Deixar um comentário

Bairros de Curitiba com aluguel mais baixo

BLOG1_ALUGUEL_BAIXO

Além dos melhores bairros para morar em Curitiba, que são, geralmente, os de maior custo na capital paranaense, há outras opções de bairros bons e tranquilos para você pesquisar por imóveis para comprar ou alugar, sem gastar horrores em aluguel.

São bairros vizinhos das regiões mais procuradas e movimentadas da cidade, mas que oferecem as mesmas praticidades para a sua rotina, como, por exemplo, facilidade em pegar ônibus, estar próximo do comércio, de escolas e do centro da capital. Veja abaixo!

Vila Izabel ou Rebouças
São bairros vizinhos do Água Verde, que são mais residenciais, porém contam com áreas comerciais ao redor por serem regiões próximas ao centro.

Bigorrilho ou Seminário
Ficam ao lado do Batel e são regiões coladas ao Centro da capital. Nelas, o transporte público, o comércio, escolas e hospitais são superacessíveis.

Ahú ou Boa Vista
Enquanto o valor dos imóveis no Cabral são elevados, nos bairros vizinhos, como Ahú e Boa Vista, o preço de apartamentos e casas já diminuem consideravelmente para quem gosta de uma região mais tranquila.

Alto da XV ou Tarumã
Regiões vizinhas ao Cristo Rei, ambas contam com facilidade na aderência do transporte público, além de contarem com várias opções comerciais e gastronômicas por perto.

Alto da Glória ou Hugo Langue
Ficam ao lado do Juvevê, dividindo comércio, escolas e pontos e terminais de ônibus que facilitam bastante o deslocamento no dia a dia. São regiões residenciais, mas que tem uma movimentação considerável por serem próximas de ruas com bares e restaurantes.

São Braz ou Vista Alegre
Santa Felicidade é uma área tranquila e sofisticada, mas com imóveis de alto custo. Se você deseja uma região parecida, mas com um preço menor, os bairros São Braz e Vista Alegre são boas opções para você dar uma olhadinha.

Veja algumas opções de imóveis
Aproveite para entrar no nosso site e conferir opções de casas e apartamentos disponíveis em algumas das regiões sugeridas aqui!

Publicado em Curitiba | Com a tag , , , | Deixar um comentário